ACESSO RÁPIDO
Hospital Santa Rita

Outubro Rosa: conscientização para a prevenção do câncer de mama

Publicado 01 de October de 2020
Outubro Rosa: conscientização para a prevenção do câncer de mama

Todos os anos, a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre assume seu papel de alertar a população sobre os riscos e formas de prevenção do câncer de mama.

Por meio do Hospital Santa Rita, especializado em prevenção, diagnóstico e tratamento de câncer, a instituição lança o seu Outubro Rosa. Neste ano, elegemos como símbolo da campanha uma máscara cor de rosa. Ícones de uma pandemia que mudou nossas vidas, as máscaras viraram símbolo de conscientização e prevenção contra um inimigo invisível. Assim como o câncer de mama, a maior causa de óbitos de mulheres por neoplasias.

Ao longo do mês, mesmo com as limitações que a pandemia impõe, a Santa Casa realiza ainda uma série de movimentos que tem como objetivo principal dar visibilidade e provocar reflexões quanto ao câncer de mama, que responde por cerca de 28% dos novos casos de câncer. Apesar de raro, os homens são acometidos por cerca de 1% dos casos da doença.

Em 2020, 66,3 mil* mulheres serão diagnosticadas com câncer de mama no país, e em torno de 11 mil perderão a vida. Hoje, o câncer de mama é a maior causa de óbito por neoplasia em mulheres. (*Estimativa do INCA - Instituto Nacional do Câncer)

Uma das principais ações é a participação de cooperativas solidárias de Porto Alegre - Cooperativa de Trabalho e Habitação 20 de Novembro, do Bairro Floresta, Associação de Mulheres Solidárias da Vila Cruzeiro e Copeart, do Bairro Bom Jesus, responsáveis pela confecção de quatro mil máscaras para a Santa Casa, que serão utilizadas ao longo do mês pelas equipes de saúde do Hospital Santa Rita. Em paralelo, médicos da Santa Casa produziram conteúdos em vídeo para estas comunidades, alertando para a importância da prevenção do câncer de mama. Ainda, no dia 21 de outubro, ocorre um evento científico virtual, em que profissionais da área trarão os últimos tratamentos e novidades sobre o tema.

O Hospital Santa Rita promove a saúde integral de homens e mulheres, difundindo informação sobre os diversos tipos de câncer e como viver mais e melhor. Em média, atende 900 novos casos de câncer de mama por ano.

O câncer de mama

A amamentação e a sexualidade feminina deveriam ser as únicas preocupações das mulheres em relação as suas mamas. Mas, infelizmente, não são. Muitas doenças podem acometer as mamas, tanto das mulheres quanto dos homens. Entre as doenças mais graves está o câncer. No Brasil, cerca de 66 mil* novos casos de câncer de mama são diagnosticados anualmente, sendo que, aproximadamente, 5.000 somente no Rio Grande do Sul.

*Estimativa do INCA - Instituto Nacional do Câncer

Os fatores de risco

Os fatores de risco são condições que predispõem uma pessoa a maior risco de desenvolver o câncer de mama, tais como:

- História familiar de câncer de mama em um parente de primeiro grau (mãe, filha, irmã);
- História pessoal de doença benigna da mama (não câncer);
- Idade a partir dos 50 anos;
- A menstruação precoce (antes dos 12 anos de idade) e a menopausa tardia (última menstruação depois dos 55 anos de idade) aumentam o risco em virtude do maior número de ciclos menstruais e, consequentemente, maior exposição do hormônio estrogênio;
- Consumo de bebidas alcoólicas em excesso;
- Obesidade.

Como prevenir

Além da atenção aos fatores de risco, existem medidas preventivas para diminuir o risco deste câncer se desenvolver. Manter um estilo de vida saudável e evitar o uso de hormônios do tipo estrogênio (presentes em medicações para controlar sintomas da menopausa) são algumas medidas para não elevar o risco de ter um o câncer de mama. Além disso, todas as mulheres devem consultar o seu médico pelo menos uma vez por ano para fazer exames das mamas.

Dependendo da idade da mulher, da sua história pessoal e familiar de outras doenças, o médico vai realizar alguns exames específicos para detectar precocemente o câncer, mesmo antes do aparecimento qualquer sintoma ou que seja perceptível.

Como diagnosticar

O exame clínico das mamas realizado por médico experiente e a mamografia são os métodos mais efetivos para se diagnosticar o câncer de mama tão cedo quanto possível, permitindo assim cirurgias menos agressivas, tratamentos mais eficazes e maior chance de cura do câncer.

É importante que as mulheres fiquem atentas a alguns sinais de alerta:

- Nódulos (caroços) fixos que geralmente não causam dor;
- Pele da mama avermelhada;
- Retração da pele da mama;
- Aspecto da mama parecido com casca de laranja;
- Alterações no bico do seio;
- Pequenos caroços nas axilas ou no pescoço;
- Saída anormal de líquido das mamas.

A orientação atual é que a mulher apalpe suas mamas sempre que se sentir confortável para tal (no banho, na troca de roupa, etc.), sem a necessidade de uma técnica especifica de autoexame, e que vá ao médico sempre que notar alguma destas alterações.


910 visualizações