ACESSO RÁPIDO
Hospital Dom João Becker

Dia Mundial da Saúde Digestiva alerta para os cuidados e a prevenção

Publicado 27 de May de 2022
Dia Mundial da Saúde Digestiva alerta para os cuidados e a prevenção

Nesse domingo (29/05) se comemora o Dia Mundial da Saúde Digestiva. De acordo com a Organização Mundial de Gastroenterologia, cerca de 20% da população de todo mundo sofre com doenças intestinais, sendo que 90% desses se automedica ou simplesmente não procura solução para o problema. Estômago, fígado, pâncreas e outras estruturas do sistema digestório também necessitam de atenção, por isso nessa data é importante lembrar do papel da prevenção e da realização de exames para preservar a saúde.

De acordo com o gastroenterologista do Hospital Dom João Becker, José Renato Hauck, a visita ao médico e a realização de exames como a Endoscopia Digestiva Alta (EDA) e a Colonoscopia, a partir dos 45 anos de idade, são as principais alternativas para a perfeita saúde do aparelho digestório. “Esta investigação se impõe, proporcionando significativa prevenção no risco para evolução de determinados achados, até cânceres”, comenta. Segundo Hauck, no caso de pacientes com histórico familiar, é prudente realizar o exame de endoscopia mais precocemente do que o padrão. A colonoscopia também se torna importante para avaliar questões ligadas a saúde do intestino. “Conseguimos identificar lesões precursoras e realizar tratamento adequado”, ressalta o gastroenterologista.

A obesidade tem sido a principal vilã contra a saúde do sistema digestório. Estudo promovido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), projeta que em 2030, cerca de 70% da população brasileira estará com sobrepeso, sendo aproximadamente 30% obesos. Isso equivale a dizer que daqui a oito anos chegaremos a triste marca de sete em cada dez brasileiros fora do padrão recomendável. Segundo Hauck o excesso de peso é, sim, um dos principais fatores de risco para surgimento de lesões graves e tumores. “Isso sem falar em possíveis problemas no sistema cardiovascular, renal e nervoso central. No fígado, por exemplo, a infiltração gordurosa causa diversos transtornos”, alerta o médico do HDJB. Controlar o peso e manter uma dieta balanceada são dicas importantes.

NOVA ESTRUTURA – Uma das iniciativas que o Dom João Becker vai apresentar em breve é a remodelação do serviço de endoscopia. “Dentro dessa ideia de preocupação com as doenças ligadas ao sistema digestório, a EDA é nossa aliada. Já temos boa estrutura e profissionais de alta capacidade. Mas queremos e vamos melhorar ainda mais”, anuncia o superintendente do hospital, Antonio Weston. Segundo ele, uma nova área personalizada para a endoscopias será construída no quinto andar do hospital. Ali, a equipe de endoscopistas, anestesistas e profissionais de enfermagem vai atuar de maneira focada nas doenças do sistema digestório.

AGIR COM O FÍGADO - Muito se fala em ter “estômago”, agir com o “fígado”, como figuras de linguagem relativas a pessoas com falta de paciência. Essa analogia é correta? Esses órgãos têm alguma relação com o psicológico? José Hauck explica: “Desde a antiguidade o Fígado traz um estigma de participação em sintomas e situações amplas. Na Mitologia vale lembrar a figura de Prometeu acorrentado, cujo fígado era devorado e se reconstituía a cada dia. Na prática e na ciência não há uma correlação indicando este raciocínio como forte impressão cultural.

Já o Estômago sofreu drástica mudança após a comprovação da relação entre úlcera e a bactéria Helicobacter Pylori. Nos anos oitenta, nas faculdades de medicina se estudava, inclusive, a chamada personalidade ulcerosa. Entretanto, esses conceitos caíram por terra. Cabe sempre recordar que doenças ocorrem em seres humanos e as situações de stress sempre influenciam na sensibilidade dos sintomas”, comenta o médico. Hauck também faz menção a Síndrome do Intestino Irritável, que é um quadro clínico que tem vinculação com fortes alterações de caráter emocional e stress.


70 visualizações